Entre SUS e Convênio, Cia da Consulta aposta em nova forma de vender saúde

Rede de clínicas populares com atendimento a custo acessível compete em um mercado que tem perspectivas promissoras, mas uma forte concorrência. Leia mais…

Duas tentativas de abrir umnegócio fracassadas, um contrato de aluguel com 14 meses de carência e cerca de R$ 55 mil foi o cenário que Victor Fiss, 23 anos, ofereceu a grandes investidores ao pedir dinheiro para tentar abrir seu próprio negócio pela terceira vez, em 2017.

 

Mas o Plano era bom. Dois anos depois, ele já conseguiu um investimento de R$ 46 milhões na rede de clínicas populares Cia da Consulta.

Um ano antes, foi nas salas vazias e nos consultórios abandonados da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) que Victor viu a primeira oportunidade de abrir o próprio negócio. O setor da saúde já era uma opção há um tempo, uma influência do pai, pneumologista e professor na FMABC.

 

E as visitas ao centro acadêmico, com ambulatórios e clínicas em desuso e espaços ociosos, evidenciaram para o estudante de administração do Insper a demanda por um modelo diferente de atendimento ao paciente.

 

Fonte: / https://exame.abril.com.br/ / Redação online / por Beatriz Correia / publicado em 27.11.2019